Ouro e prata a serviço da medicina

O ouro e a prata num tamanho 70 mil vezes menor que o diâmetro de um fio de cabelo e capazes de serem observados apenas por meio de potentes microscópios, provavelmente, não teriam nenhum valor para você. Mas, para a ciência, as nanopartículas desses dois metais são muito valiosas: elas surgem como alternativa para transporte e entrega de medicamentos dentro do organismo humano, entre eles o de combate às células cancerígenas, e para a produção de tecidos que ajudam a cicatrizar lesões. É o que constatou uma pesquisa desenvolvida em parceria pelos laboratórios de Química do Estado Sólido e de Química Biológica, ambos da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), junto com o Núcleo de Ciências Ambientais da Universidade de Mogi das Cruzes (UMC).

Acesse a matéria na íntegra:

http://www.cpopular.com.br/cenarioxxi/conteudo/mostra_noticia.asp?noticia=1435438&area=2259&authent=10CDBFEF99356B1706B8249EFE6CDC

Deixe uma resposta